Recursos Acessibilidade
Ir ao Conteúdo
Mapa do Site
Aumentar Textos
Diminuir Textos
Contraste Cores
(14) 3378.1399
Atendimento à População:
8:00 às 11:30 - 12:30 às 16:00
Acesso Rápido:
Acesso a Informação Acessar Facebook

A Cidade / Nossa História Ir para a página inicial

No dia 7 de abril de 1886, por ordem do Presidente da Província de São Paulo, foi dado início à exploração do Rio Paranapanema. Teodoro Sampaio, em relatório de sua viagem exploradora, acerca do último povoado por ele encontrado nesse sítio, relata o seguinte: 
“Ergueu-se agora pequena povoação a margem paulista. Seus habitantes todos muito pobres e com pequenas lavouras de cereais, que apenas dão par o consumo local. Como lugar insipiente, não tinha nesta data nem comércio nem mesmo comunicação postal com outros municípios vizinhos.” 
    
No relatório presidencial de 1864, há referências a uma primeira tentativa de aldeiamento em Salto Grande do Paranapanema ou Cachoeira dos Dourados. Frei Pacífico de Monte Falco, trazido da Itália em 1843 pelo Barão de Antonina, encarregava-se da catequese dos Índios Caiuás e Xavantes que na época viviam aqui por estas terras.

O aldeiamento deu origem ao Patrimônio do Salto Grande do Paranapanema, propriamente dito e remota de 1860, originado pela escritura pública de doação de 1860, transcrito no cartório de Registro de Imóveis de Santa Cruz do Rio Pardo sob o nº 1.193, na qual consta como doadora dona Antonia Maria Batista e seu filho Joaquim Antonio Moreira.

O distrito de Salto Grande foi criado pelo Decreto Lei nº 155, de 14 de Abril de 1891. Foi elevada a categoria de Vila pela Lei Estadual nº 1038, de 19 de Dezembro de 1906. E em 27/12/1911, tornou-se município de acordo com a Lei nº 1294, ocorrendo o desmembramento do município de Santa Cruz do Rio Pardo.
    
A Lenda do Tibagi que recebera o golpe inicial de Teodoro Sampaio, provando, com sua exploração, a impossibilidade do entrosamento em moda das vias férreas e fluviais, caiu por terra. Entretanto, o Salto Grande do Paranapanema recebeu de Alfredo Maia, engenheiro e diretor da Estrada de Ferro Sorocabana, em 1905, régio presente dos trilhos, o que constitui Salto Grande, “fim de linha” até 1912. O distrito de Paz de Salto Grande do Paranapanema foi criado pelo Decreto Lei nº 155, de 14 de Abril de 1891. Finalmente, por força da Lei Estadual de nº 1.887, de 08 de dezembro de 1.922, o município passou a chamar-se Salto Grande.

O município, que possui uma extensa área territorial com 211,10 km2, apresenta uma temperatura máxima de 38º C e mínima de 12º C. Sua hidrografia, principal atributo natural do município, é bastante ampla e significativa e é formada pela Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema. Salto Grande, que está localizado a Sudoeste do Estado de São Paulo, a uma altitude de 377 metros, tem como limites ao Norte, o município de Ribeirão do Sul; a Oeste, o município de Ibirarema; a Leste, o município de Ourinhos, e ao Sul, o município de Cambará, Estado de Paraná.
    
Para efeito de ações de Planejamento de Ação do Governo Estadual, Salto Grande integra a Região de Governo de Ourinhos, composta por 10 municípios e a Região Administrativa de Marília, composta por 45 municípios. 

O município de Salto Grande, por sua localização privilegiada no entroncamento da antiga Estrada de Ferro Sorocabana com o Rio Paranapanema, limítrofe com o Estado do Paraná, às portas do MERCOSUL tem, através de seu sistema regionalizado de transporte, uma importância relevante para a região e para o Estado, pois é através dele que é distribuída e escoada a produção, bem como facilitada a locomoção da população tanto local, quanto das regiões vizinhas. 
    
O sistema rodoviário na região apresenta uma rede bem distribuída, pois o município localiza-se às margens da Rodovia Raposo Tavares e está ligado a Ourinhos, Assis Marília e a Presidente Epitácio por essa rodovia e a São Paulo, pela rodovia Castelo Branco, além da facilidade de ligação com o Paraná, através da estrada Salto Grande - Cambará, o que garante acesso facilitado ao MERCOSUL. O município possui cerca de 250 quilômetros de estradas vicinais.
    
Historicamente, Salto Grande deveria se tornar o local de entroncamento Rodo-Ferroviário entre São Paulo - Paraná, fato este não ocorrido por conta dos interesses dos coronéis produtores de café, à época, que envidaram esforços e conseguiram transferir o parque ferroviário para Ourinhos. Nesta época, cabe ressaltar, Salto Grande era Comarca e Ourinhos sua Circunscrição.
    
Em relação à evolução da população do município, Salto Grande apresenta-se com uma população residente estável, que vem mantendo sua atual taxa anual de crescimento e, igualmente, manutenção de seu potencial econômico e social, sofrendo um processo de urbanização semelhante ao observado para os demais municípios da Região de Governo de Ourinhos.